terça-feira, 20 de abril de 2010

Um pedacinho de mim.



Pode parecer bobagem ou até mesmo cafona aos ohos dos outros, mas se tem uma pessoa fundamental para que eu viva é o meu pai. Não menosprezando os outros integrantes da minha família, que são também muito importantes para mim, mas para o meu pai eu abro uma exceção. Para ele abro mão da felicidade. Abro mão da minha vida, até. Abro mão de tudo que eu tenho. Por que sem ele, eu não teria a felicidade, a minha vida e as coisas que eu tenho. Tenho um carinho especial, adicional àquele amor de pai e filha, por que ele nunca me põe para baixo, nunca o vejo triste e por mais difíceis os problemas que ele tenha, está sempre sorrindo. Essa é uma maneira de ele não passar o que ele está sentindo, os problemas dele, para mim. Basta ele chegar para que tudo fique alegre.
Sempre com aquele jeito carinhoso que só ele tem. Sempre com toda a sua felicidade que não cabe dentro de si. Sempre vendo o lado bom da vida, sem se preocupar com o que está por vir. Fazendo de tudo para ver cada uma de suas filhas, muito felizes. O meu pai? O mais feliz. O mais acolhedor. O mais alegre. Enfim, o melhor. Ele eu não vendo, não troco, não empresto, não dou. É só meu e não divido com mais ninguém.
Quem é o homem da vida? Espera que eu diga que é um Guilherme, um João, um Mário, um Fernando ou outro garoto qualquer certo? Mas não, o homem da minha é o MEU PAI.

Eu o amo incondicionalmente, infinitamente, inexplicavelmente, extremamente, inigualavelmente,indiscutivelmente,idolatradamente,eternamente,ilimitadamente, imaculadamente,imortalmente,imponderavelmente,incomensuravelmente, impostergavelmente,impreterivelmente,improrrogavelmente,imputrescivelmente,imutavelmente,inabalavelmente,incessantemente,inconcebivelmente,indelevelmente,independentemente,indeterminadamente,indispensavelmente,indissoluvelmente,indivisivelmente.
Não há palavra dignamente capaz de expressar.

P.S.: Confesso que chorei fazendo esse post...

@yasmin_vizeu

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Pequenos seres indefesos





Não há família, por mais desunida e fria, que resista à chegada de um bebezinho novo. Todas as atenções são chamadas a essa pequena criaturinha, que com toda a sua inocência e pureza, encanta a todos. Dizer que não é gostoso ficar apreciando o sono profundo de um pequeno bebê, é mentira! Eles são coisinhas que nos conseguem fazer rir mais do que qualquer piada, com uma simples gargalhada. Seu olhar é tão cheio de ternura que até nos purificam.
Mas o que eu simplesmente não entendo é como há ser humano (se é que merecem ser chamados de seres humanos) no mundo que tenha a frieza e o coração de pedra o suficiente para abandonar, matar ou judiar de um pinguinho de gente desses. Será que não tem coração? Não vê que eles não tem defesa nenhuma e não podem sair correndo quando se sentem assustados? São serezinhos totalmente dependentes.
Mas você sabe por que Deus os fez sem nenhuma defesa? Simplesmente por que eles devem ter todo o carinho e cautela, todo o aconchego e amor. Alguém que mereça essa dádiva tem de ser humano e capaz o suficiente para criar um bebezinho.

O motivo pelo qual escolhi escrever sobre os bebês, foi a coisa mais fofa desse mundo: o César Henrique.




É ou não é a coisinha mais linda nesse mundo?

Beijos :*

@yasmin_vizeu