domingo, 21 de outubro de 2012

Caminho de volta.

Antes de iniciar a leitura, aguarde até que o player apareça e acione a música.


B241a888f87c11e1bf2722000a1deac4_7_large
    Eu me lembro de como a chuva batia na minha janela naquela manhã. Me lembro de ter acordado e de ter encontrado o outro lado da cama vazio. Me lembro de ter sentido falta.

    Me lembro de ter levantado, sentido o frio do piso contra a pele quente dos meus pés. Me lembro de ter ido até o banheiro e ligado o chuveiro quente, esperando tudo ser preenchido pelo vapor até que não pudesse mais enxergar nada além de um borrão no espelho. Fechei os olhos. 
   Todas as coisas que eu quis dizer; me lembro delas. Das palavras duras que de tão severas, nunca conseguiram sair de mim. Lembro de você cruzando a porta, enquanto eu lutava contra a vontade de chorar; da vontade que eu tive de, ao invés de deixar que você fosse embora, te agarrar pelos braços e repetir um milhão de vezes "fica, não me deixa, não vai embora, não me esquece". Quando você vai voltar?
   Tô sentindo tua falta em cada centímetro desse lugar. Do rádio que já não toca logo cedo, até o teu lado da cama que não se encontra desarrumado. Ninguém mais dorme ali.
   Diz que a merda do telefone vai tocar e eu vou ver teu número piscando, chamando, implorando pra ser atendido. Diz que eu vou te encontrar quando acordar ou quando chegar em casa em mais um fim de tarde exaustivo. Diz que você vai estar aqui, por favor. Diz que vai voltar.
   Lembro do vazio que eu senti quando percebi que você tinha ido embora de verdade. Lembro de quando notei que você não voltaria mais.
   Eu não vim aqui para te deixar ir, eu não andei tudo isso para te perder. Eu não vim acreditando que estaria sempre longe de você. Eu não lutei para que você partisse logo em seguida. Eu não me mantive firme tanto tempo para depois desabar entre um segundo e outro.
     De volta ao banheiro, me lembro de ter recostado na parede, que agora já estava úmida. Me lembro de ter escorregado pelo azulejo como a água do chuveiro escorregava ralo a baixo. Me lembro de ter sentado e chorado. Não me lembro de mais nada.




Beijos e me liga para contar de quem você queria que voltasse :*



PS: Às vezes dá vontade de escrever uma melancoliazinha.
PS2: A música que toca durante o texto é Untouchable, da Taylor Swift.
PS3:  Comente, deixe sua marquinha aqui :)

15 comentários:

  1. Amei a música, o post, e sobretudo o blog! Seguindo :)
    Bjs, Ruama.
    http://esquiloscorderosa-ruama.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A pessoa que eu desejo que volte, talvez não volte.Posso desejar com toda a força que habita na minha alma, mas as coisas não dependem só de mim. O texto é realmente lindo. Boas memórias

    ResponderExcluir
  3. "Lembro do vazio que eu senti quando percebi que você tinha ido embora de verdade. Lembro de quando notei que você não voltaria mais."

    Esse vazio é o mais doído, o mais amargo que existe e dói demais , ao ler o texto senti novamente ao lembrar da cena.
    Eu não desejo que a pessoa volte e acho que você sabe os motivos pois são óbvios, mas saudade sempre dá.
    Parabéns pelo texto flor, principalmente por conseguir escrever sobre algo que não acontece contigo no momento.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre procuro a barra de comentários embaixo e fico meio confusa ou me achando cega quando não enxergo, até lembrar de olhar em cima!! hahaha
    Adorei o blog, não conhecia!!
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. (...) E eu jamais esquecerei que você é uma das minhas escritoras favoritas.

    Arrancando lágrimas. Você é maravilhosa, minha pequena!

    att,

    Laís Anjos

    ResponderExcluir
  6. Olá, moça. Primeiro devo dizer que adorei o seu cantinho, falando bem na parte da estética mesmo. Está doce, leve e bonito.
    Em segundo lugar, gostei do texto. Sincero, forte e cheio de sentimentos. Não gosto muito da artista indicada na música, então ouvi uma música de meu gosto mesmo. Mas que no final bateu com o seu escrito.
    ''E o fim é belo incerto... depende de como você vê.''

    Um beijo, @pequenatiss.

    ResponderExcluir
  7. Acho que estamos mais ou menos numa fase de nos retirarmos - em parte, talvez - dos textos que escrevemos e buscar inspiração em outras coisas, momentos, pessoas e até músicas. Lendo esse seu agora, percebi que realmente dá certo, porque ficou ótimo, lindo. Rico na descrição de detalhes, dos sentimentos, que mesmo não tendo certeza se são reais ou não, conseguiram me emocionar de verdade. Olhar para o lado e ver a cama arrumadíssima no lugar da outra pessoa deve ser péssimo, e mais péssimo ainda perceber que ela poderia estar ali se houvesse mais compreensão, diálogo, ou qualquer coisa do tipo. Isso tudo com a música então, ficou perfeito. Sou uma fã assumida das músicas dela, e sempre, sempre mesmo, me inspiram bastante, principalmente quando escrevo sobre coisas/sentimentos/paixões do passado.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Yasmin, que texto bem escrito, menina! Quem nunca sentiu uma meancolia assim? As vezes, eu gosto de escrever saudades, velhas saudades que se não escrever elas me sufocam.
    Lindo texto!

    Beijos, ótimo fim de semana.

    http://luzia-medeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    antes de tudo queria agradecer por procurar-me e ainda relatar sobre os comentários, mas eu desativei mesmo, inclusive cheguei a desativar o blog. Passei por algumas mudanças e o blog está de nome, cara, e futuramente domínio novo [amém].
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Que lindo guria, e que foto linda também. Acho que esse é um dos teus melhores textos. Vi tanto uma antiga eu nessas linhas, vi o sofrimento, vi a espera, vi a luta e todo o esforço pra não dar em nada. Bom que a vida segue e nos apresenta novos sorrisos. Mas teu texto ficou muito bonito e muito bom, de verdade. beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Ao som de Taylor Swift... Fui lendo sem me preocupar do tamanho do post, sem me preocupar do final (apesar de suspeitar), fui endo simplesmente porque consegui sentir a emoção, ao som da Taylor... :)

    http://gabipuppe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. A Taylor tem o dom de escrever sobre coisas que eu estou sentindo... Sempre que preciso de uma música, encontro nas da Taylor a resposta, a saída. rsrs
    Acho que perdi algumas pessoas por não ter dado a devida importância, ou melhor, pensei que fosse fácil superar a falta que ficaria caso fossem embora, mas não é. Sempre machuca e parece que esse pedaço nunca vai ser reconstruído.
    Sinceramente, seu texto foi o melhor presente que eu poderia ganhar esse finalzinho de noite. Vai parecer exagero se eu disser que fiquei com os olhos cheios de lágrimas ao terminar de lê-lo?

    Beijos

    osonhodeumaflauta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Cara que lindo seu texto ... Às vezes escrever com melancolia é mais fácil ... do que escrever feliz. Estranho, né?

    ResponderExcluir
  14. ás vezes essa melancolia tava escondida ai gata, porque as palavras saíram tão lindamente, é que você as sentia, ameei , apreçe no meu blog, bj

    ResponderExcluir

Não leio mentes ainda, então não vou saber o que você achou a menos que comente.