quinta-feira, 30 de junho de 2011

Uma ida sem volta.

O dia tinha amanhecido não fazia tanto tempo, a estação estava com um movimento relativamente normal, e fazia um frio cortante. Estava sentada naquele banco de madeira, próximo a linha do trem, esperando que você chegasse com as nossas passagens. Você finalmente tinha tirado uns dias da tua vida para me fazer companhia, de tanto que eu havia insistido. Iríamos fazer uma pequena viagem, passar um tempo juntos, qualquer coisa. O que realmente importava era que iríamos aproveitar a companhia um do outro. Mas eu não sabia se realmente queria isso.
Esfreguei a palma das mãos no meu rosto, na tentativa de esquecer tudo que minha mente tentava fixar. Respirei fundo e te vi chegando com o par de bilhetes na mão. Sorri daquele jeito que você adora que eu faça, o que te fez sorrir também. Me levantei, peguei minha passagem e, colocando-a no bolso do casaco, me aninhei a você para que me esquentasse. Eu realmente encontrava um pouco de paz quando ouvia as batidas do teu coração. E já disse que teu abraço era a cura de qualquer problema, não disse?
Nosso trem estava se aproximando e as pessoas começavam a se levantar dos bancos e a formarem uma fila desorganizada atrás da linha amarela. Alguns minutos foram necessários para que a maioria das pessoas conseguissem entrar no trem e se ajeitarem em seus respectivos assentos. Entreguei meu bilhete ao homem que estava na entrada, você entregou o teu e juntos entramos a procura dos nossos bancos. Antes de me sentar, parei e olhei para você, que com o seu melhor sorriso me disse: "pode se sentar na janela, meu amor". Sorri de volta e me acomodei.
Minha cabeça estava mais cheia do que aquele vagão. Pensamentos que há muito insistiam em tomar conta de tudo, inclusive das minhas decisões. Eu te amava demais, sabe. O sentimento que eu alimentava, era com certeza cinquenta vezes maior do que o que você sentia por mim. Você gostava de mim. Eu te amava. Dá pra sentir a diferença, não? Mas o que sempre me machucou foi sentir como se eu fosse a segunda opção. A fuga que você encontrava para fugir dos problemas, das responsabilidades, da tensão e do relacionamento desgastado. Para você era bem cômodo. Para mim nunca foi.
Estava com os olhos fixados no mais longe que pude, quando senti que você colocou sua mão sobre a minha. Te olhei nos olhos e senti, mais do que nunca, que não seria fácil ficar sem você; mesmo você estando longe. Não seria fácil te perder. Mas eu acabei percebendo, naquele momento, que eu não iria te perder. Afinal, não se pode perder uma coisa que você nunca teve.
Os últimos passageiros ainda estavam por embarcar quando eu me levantei e te pedi para que esperasse, iria ao banheiro. Fui até a porta dele, que por ironia do destino ou não, era exatamente ao lado da porta que dava acesso ao lado de fora do trem. Pensei duas vezes em qual porta eu cruzaria. Não entrei no banheiro.
Saí do vagão com o coração na mão e a dúvida derramando pelos olhos. Será que eu acabara de fazer a coisa certa? Se fiz certo ou não, isso ainda vou saber, mas sei que naquela hora estava doendo muito. Passei a mão pelos cabelos e em seguida desci-a até os olhos, para enxugar o que escorria deles. Vou sofrer, vou chorar, vou sentir falta, vai doer, vou querer desistir e ir atrás.
Mas "vai passar, sempre passa".
Vi o trem começar a se movimentar e sair de onde estava. Fechei meus olhos, o coração apertou. Apertou muito. Independente do tamanho do meu amor por você, eu resolvi tentar me amar também. Muito obrigada por tudo que fez por mim e pela felicidade que já me proporcionou. E agora, que aquele vagão te leve pra bem longe de mim; leve meu amor, minha tristeza, meu sofrimento, minha saudade e, o principal: leve a esperança que eu tinha de que pudéssemos algum dia darmos certo.

Beijos e me liga para contar da tua decisão dolorosa :*

PS1: Se você leu até aqui, meu eterno parabéns! Obrigada por perder alguns minutos da tua vida lendo mais um dos meus textos quilométricos.
PS2: Com tanto tempo escrevendo, acho que essa foi a única vez em que eu consegui transformar exatamente o que eu estou sentindo/passando, em um conto.
PS3: Comente, deixe sua marquinha aqui ;)

10 comentários:

  1. o tipo de texto que deixa a gente sem palavras, lindo, lindo !

    ResponderExcluir
  2. "Independente do tamanho do meu amor por você, eu resolvi tentar me amar também."

    demorei um pouco pra aprender isso, primeiro temos que nos amar pra depois amar alguém.
    Nem sei o que comentar, porque estou em uma fase diferente, mas entendo perfeitamente isso porque já passei várias vezes por isso.

    Amei demais!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Fiquei com o coração apertadinho ao ler o texto.Da metade ao final ele veio até a boca e voltou ,e as lágrimas teimaram em querer descer.
    Mesmo não passando por tal situação,sempre alguma coisinha faz relembrar ,me identifiquei.Muito bem escrito .
    Adorei !
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Tenho certeza que novamente você superou as expectativas!
    × Amei o texto e a maneira como se expressou nele!

    Muitas de nós já passamos por isso ou vamos passar, é doloroso... Mas "vai passar, sempre passa", tenho certeza!
    Beijos e me liga para contar das suas novidades:*

    ResponderExcluir
  5. Que texto triste, pude sentir a dor da menina.. Mas esse texto pareceu um conselho que eu daria pra algumas amigas que precisam ouvir essas coisas e lembrar que por maior que seja o amor, às vezes é preciso que deixemos ele ir embora.
    Amei!

    =*

    ResponderExcluir
  6. Complicado não saber a escolha certa, o importante é fazer uma escolha... Se é necessário fugir, então o melhor é deixar o trem partir mesmo...
    P.s: Seus textos são maravilhosos e eu quem agradeço!

    ResponderExcluir
  7. Acho então que você começou a se amar ou está tentando se amar mais do que ama o outro, e te digo, é necessário. Precisamos nos proteger e realmente escolher a relação na qual queremos ficar. Beijos guria :)

    ResponderExcluir
  8. Oh serio?,sabe foi muito difícil pra mim escrever cada palavra deste texto,mais um dia os sentimento tem que vim atona e nunca és fácil superar uma perda.

    Sabe é melhor assim,por mais que vai sentir saudade dele,nunca o teve por completo não é?,de desejo muita força yasmin,e como disse vai passa,por que tudo passa nada é para sempre,ate o sofrimento e o amor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem,
    os amigos devem ser amigos para sempre,
    mesmo que não tenham nada em comum,
    somente compartilhar as mesmas recordações,
    pois boas lembranças são marcante,
    e o que é marcante nunca se esquece! Uma grande amizade
    mesmo com o passar do tempo é cultivada assim!
    Vinicius De Moraes
    Uma feliz semana aceite com carinho
    minha mensagem.
    Deus esteja sempre presente na
    vida de todos nós beijos no coração,Evanir.

    ResponderExcluir

Não leio mentes ainda, então não vou saber o que você achou a menos que comente.