quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Depois da Meia Noite.



     - Loucura. Isso que nós estamos fazendo, quer dizer - eu disse, enquanto o vento frio da madrugada batia nas minhas bochechas quentes.
     - Só um pouco... - sorriu ao mesmo tempo em que me dava a mão e me ajudava a subir a escada enferrujada e frágil que dava acesso ao terraço do prédio. Terraço este cujo acesso só era permitido enquanto era dia, por questões de segurança. Eram três da manhã.
      Quando terminei de subir, por um instante me paralisei ao notar a vista que eu tinha.
     - Gostou? - você disse, parecendo satisfeito.
      Eram vinte andares e eu com certeza estava a muitos metros do chão.
     - Amei - disse, recuperando o ar que havia perdido com aquela vista, e ao mesmo tempo desejando que o vento não fosse tão frio ali em cima.
    - Mas você ainda não viu a melhor parte! - e de repente me vi sendo arrastada até a beira do edifício, onde a partir dali não havia nada além de nada. E a rua a pelo menos uns sessenta metros de altura de onde estávamos. Você se sentou, exatamente ali, como se a chance de escorregar ou se descuidar e acabar caindo fosse totalmente nula. E ainda arriscou balançar os pés, em uma tentativa de se mostrar ousado.
    - Vem?
    - Claro que não, olhe onde você está! E se eu cair?! - disse eu, começando a ficar histérica.
    - Você não vai cair, te prometo. Vamos, venha.
     Me aproximei devagar, usando toda a cautela do mundo e, em passos milimetricamente pequenos, me sentei ao seu lado. Tinha de admitir, a vista valia a pena. A rua lá embaixo estava deserta e os prédios que preenchiam a cidade estavam quase todos apagados, apenas com algumas luzes acesas. Era lindo.
     Ficamos alguns minutos em silêncio; você sabia que eu estava adorando cada segundo daquilo.  A conversa acabou se desenrolando quando você quebrou a serenidade e desde então falamos sobre tudo, e ao mesmo tempo não dissemos nada.
      Você contornou minha cintura com o braço e eu descansei minha cabeça em seu ombro. Foi quando nos demos conta de que as horas haviam passado de uma forma impressionantemente rápida e o sol começara a nascer. O vento bagunçou um pouco meus cabelos e me fez sentir frio, fazendo com que eu me apertasse contra o seu corpo, na tentativa de me aquecer. O céu deixava de estar negro para se clarear, passando por um roxo escuro que foi se desmanchando até encontrar os raios alaranjados do sol e se fundirem formando o aspecto rosado de dia amanhecendo.
     - Eu te amo
     - Eu também te amo, querida.

Beijos e me liga para contar das vistas que você tem de madrugada :*

PS1: Foi bem engraçada a forma como esse texto nasceu. Eram quase 6h da manhã e eu ainda não havia dormido; estava quase pegando no sono enquanto ouvia a uma música, quando cada parte dele foi se formando na minha cabeça e quando vi, já estava com o texto todo escrito.
PS2: Não sou de divulgar nada por aqui, mas o que é bom vale a pena ser divulgado. Acho que deveriam dar uma passadinha no Momento de Ser Livre, blog do Lucas! O post que eu mais gosto, é esse aqui.
PS3: Comente, deixe sua marquinha aqui :)

8 comentários:

  1. lindo amiga, e muito obrigado por divulgar meu humilde blog, é uma honra *-*

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto Yasmin, fez muito bem de tê-lo postado.Adorei seu blog. E as indicações de livros abaixo também são todas ótimas.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Adorei, ficou lindo!
    É bom quando alguém nos transmite confiança né.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ah, essas vistas... Tão lindas, né? Eu sempre viajo, me inspiro bastante.
    Lindo conto, Yasmin!
    Beijos, flor!

    ResponderExcluir
  5. Madrugas são propícias a criação de textos. Sabe que essa vista bonita eu tenho aqui de casa e ela realmente toca fundo na gente.
    Beijos meus

    ResponderExcluir
  6. Que madrugada generosa por ter te concedido tamanha inspiração, só posso resumir esse texto em uma palavra: Lindo! Me faz sonhar acordada e desejar ter um momento desses pra mim. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Imagino como seria se isso algum dia acontecesse comigo... Tá lindo!

    ResponderExcluir
  8. Liiindo. Imaginei a cena, o tempo, a visão, os sentimentos *-*

    ResponderExcluir

Não leio mentes ainda, então não vou saber o que você achou a menos que comente.