domingo, 1 de julho de 2012

Sobre homens, brinquedos e feminismo.


Greene-milton-h-marilyn-monroe-4800140_large     Essa semana presenciei pelo menos uma dúzia de acontecimentos que me deixaram bastante impressionada; cheguei até a culpar a fase da lua, porque nada justificava tantas amigas minhas sofrendo num mesmo período de tempo. Pensei que deveria escrever sobre isso, portanto o post de hoje vai ser um pouco diferente dos comuns. Estipulei algumas instruções antes que comecem a leitura, porque julguei necessário.




Instruções:
1. Se você está solteira, vá em frente e boa leitura.
2. Se você está namorando/noiva/casada, pense em um homem que te fez de gato-e-sapato no passado. Pensou? Agora pode começar o texto.
3. O termo "homem" usado durante todo o texto é bem generalizado, muito embora haja exceções.
4. Releia com atenção o item 3.
5. Se você é homem, sugiro que feche a janela. Se ainda está lendo isso, peço que contenha seu ódio.


      Se eu te pedisse pra completar a frase: "homem é um ser muito _______.", qual adjetivo você usaria?
      Ok, tenho certeza que você não foi generosa na palavra. Não tiro sua razão, afinal, você provavelmente deve ter sofrido de alguma desilusão amorosa e por isso tem essa opinião. E se você que está lendo, usou alguma palavra bonitinha e nunca sofreu tombo nenhum, não tenho boas notícias: uma hora isso vai acontecer.
164504_1835961661467_1405692_n_large
     Deixando de lado a discussão Homens x Adjetivos de baixo calão, aposto que todo mundo já se perguntou se o problema era consigo mesma frente a alguma situação de coração partido ou coisa do tipo. Vou direto ao ponto: a verdade é que homem gosta de mulher que não pensa. Simples.
     Quer uma explicação óbvia? Vamos lá: além de terem volume entre as pernas, eles têm um orgulho inchado e o ego mais inflado possível. Diante de uma mulher pensante, com opinião própria, cabeça feita e muitas outras coisas de maior importância além de cabelos loiros, peitos grandes e bundas exageradamente enormes, eles se sentem ameaçados. Natural de qualquer ser humano se sentir pequeno frente a alguém com potencial igual ou maior que o alheio.  Em suma, diria que homens gostam mesmo é que sejamos pequenas o suficiente para caber na palma de suas mãos e comer ali.
     É mais saudável para o ego e orgulho masculino que as mulheres lhe sejam submissas, não pensem, não questionem, apenas ouçam, abaixem a cabeça e fiquem caladas. Bastante clichê, até mais do que eu gostaria que fosse e apesar de ter certeza que muitas já sabem que a verdade é essa, ainda encontro garotas grandíssimas se esfarelando pelos cantos por causa de algum mal-crescido que ainda acha que mulheres são como um dos bonequinhos articulados de sua coleção. Peço somente uma coisa a ambas as partes: acordem. Por favor. Mulheres, percebam que você merecem mais. Homens, voltem para os seus brinquedos.
     Desabafo feito, alma mais leve, recado dado. Missão cumprida.

Beijos e me liga pra dar a louca e bancar a feminista :*

PS: Não, não fui chutada ou algo do tipo, muito pelo contrário. Apenas fiquei indignada com o número de casos que vi nessa última semana, como já disse no primeiro parágrafo.
PS2: Comente, deixe sua marquinha aqui :)



8 comentários:

  1. Bom, pelo o que aconteceu comigo posso dizer que a maioria dos homens independente da idade so querem aproveitar de nós mulheres, usar ,abusar e depois jogar fora. Eles acham que somos brinquedinhos deles e quando enjoam podem fazer o que quiser. É tenso isso. Claro que existem homens que não são sim, mas infelizmente a maioria é.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Apesar de nunca ter sentido na pele, concordo com tudo o que você disse, embora não ache que esse tipo infantil-medroso-machista-egocêntrico deva ser chamado de homem.
    Além disso, acho que muitas mulheres tem uma cota de contribuição para isso já que se deixam dominar.

    ResponderExcluir
  3. Houve uma época assim também, um bocado de amigas minhas terminando o namoro e chorando pelos cantos do colégio, ficava besta e começava a chorar também toda vez que tentava consolar elas, porque não aguento ver gente chorando, principalmente gente que eu amo, sou ridícula mesmo e morri de vergonha naquele tempo mas fiquei lá, no pé delas. Uma já tinha acabado o namoro umas 564654654 vezes, o cara é um fanfarrão mesmo, disse que a amava, mas que estava na idade de curtir a vida. Pfvr.
    E o pior é que ela estava e ainda está nas mãos dele, toda vez que ele chama, ela vai, e claro que ele se aproveita dessa situação. HÁ tanto canalha nesse mundo, não só homens, já perdi a conta das meninas que se encaixam perfeitamente nesse rótulo, mas no fundo nós desejamos o príncipe encantado e intensificamos com todas as forças algo que, às vezes, nem existe. Nunca sofri loucamente por amor, e nem desejo, e olha que eu invento de me apaixonar todo dia, acho mesmo é que sou desconfiada demais, e isso é extremamente chato, porque fica complicado viver na base do "let it be", no entanto me serve como uma beleza pra pensar antes de fazer qualquer coisa, na hora de analisar a situação friamente e não deixar que o coração faça tudo do jeito que bem entender.

    ResponderExcluir
  4. Yasmin, nesse texto fala exatamente tudo que um dia eu não consegui achar palavras para explicar, espero que as meninas que leram entendam o que você quis dizer.. Eu não pensei que você fosse algum dia olhar meu blog de novo, mas quando vi seus comentários fiquei completamente surpresa e alegre!
    Bom.. Mas seus posts são realmente muito bons. Parabéens, beijos! Siga sempre assim amadinha *-*

    ResponderExcluir
  5. Gostei do assunto do post.Esta certa com suas palavra a respeito dos homens,eles se sentem sim ameaçados com uma mulher de verdade ao seu lado.A sorte é que nem todos são assim e o azar é que é difícil acha tal raridade.Lindo o post como sempre com teu jeito simples e claro escrever.Eu também estava com saudades dos teus posts do teu cantinho e muito obrigada mesmo pelo teu comentário ele é muito importante para mim.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Min, em primeiro lugar, parabéns pelo texto e, principalmente pelas regrinhas do início. Achei super válida a segunda regra, porque dá pra perceber que você reconhece a existência das exceções. Adorei isso, e acho que tá aí uma coisa que todas as mulheres devem acreditar: ainda existem homens diferentes da maioria, aqueles que se salvam, que tem sentimentos e que realmente podem fazer uma mulher feliz.
    No mais, só tenho a dizer que, infelizmente, a maioria se encaixa exatamente em tudo o que você escreveu. É triste, é complicadíssimo, mas é verdade. E para estes casos, só mesmo um bom par de olhos abertos, desapego e amor próprio. Muitas de nós já sofremos por causa de casos do tipo, mas também o tanto que amadurecemos... Quando a dor passa, a gente chega até a pensar que valeu à pena, e valeu mesmo. Pelo nosso próprio bem, valeu.
    Beijos, flor!
    Simplesmente adorei.

    ResponderExcluir
  7. ok, fui avisado antes de ler, mas fiquei curioso pra saber o que dizia o texto, alias muito bem escrito diga-se de passagem.

    para resumir e nao entrar em discussão:
    "muito embora haja exceções"
    simples e objetivo, me considero entre essas 'exceções' :)

    como sempre ... espetacular seu post YASMIN

    ResponderExcluir
  8. Namoro a um ano e cinco meses e confesso que antes disso, sofri demais com decepções amorosas. Sabe aquela coisa de você pensar "o que é que eu tanto faço de errado?" e não encontrar uma solução? Todos alegaram que eu era "a menina que todo cara gostaria de namorar". Acho que falavam isso pra todas.
    Agora que tenho um relacionamento mais maduro, percebo que não era eu que tinha errado na história, mas que sempre escolhi babacas para me relacionar. Mas babacas dos piores tipo. Muitos acabavam desistindo por eu não me submeter as exigências deles. SOfri muito, mas ainda bem que fui esperta o suficiente pra não me submeter. Espero que as outras garotas também não o façam!
    Deixo aqui a minha revolta com homens idiotas e machistas.
    Beijinhos

    www.hiperbolismos.blogspot.com

    ResponderExcluir

Não leio mentes ainda, então não vou saber o que você achou a menos que comente.