segunda-feira, 16 de julho de 2012

A tal da faxina interior.


2n03t6b_large

      Nunca fui de gostar de faxina. Sempre odiei essa coisa de tirar tudo do armário e ter organizar, escolhendo o que eu deixaria e o que eu mandaria pro saco de lixo. Meu maior pavor são as férias, quando minha mãe sempre vem de mansinho na porta do quarto e solta como quem não quer nada um "cê não acha que tá precisando dar uma ordem nas tuas coisas?".
      Sou desorganizada, não gosto de arrumações e odeio ter que me desfazer das minhas coisas, inclusive das que eu não uso há tempos. Acho que esse defeito tem papel na minha vida bem além de quando o assunto são coisas materiais. Nessa parte, os objetos e as pessoas não têm lá tantas diferenças assim na minha vida...
       Tenho um armário cheio de pessoas que eu não uso mais. "Pessoas que eu não uso mais" soa um tanto quanto forte, quer dizer, pessoas que não fazem mais tão parte assim da minha vida. Não arrisco abrir a porta desse armário por puro medo do que pode sair dali, ou pior, por medo de ser soterrada com a quantidade delas que estão apertadas e disputando por um pedacinho a mais lá dentro. Ah, não abro e também não deixo que abram por mim. Acredito até que haja pessoas lá que eu nem me lembre mais ou faça ideia de que estão ali. Tudo porque sofro de um problema: o desapego. Pode parecer sem pé nem cabeça eu continuar guardando tanta gente assim mesmo que já não façam mais diferença alguma pra mim, mas é que, como já disse, não gosto de me desfazer das coisas.
       Eis que eu tomei coragem pra fazer essa arrumação. Juro que pensei que seria pior abrir o armário, mas veja bem, não estou dizendo que não tenha sido ruim. Olhei um por um que estava lá dentro, limpei todos eles e coloquei-os do lado até que decidisse o que faria. Separei os que, por força do apego, não consegui mandar embora e botei-os de volta ao armário. O resto? Foi pro saco.
      Pensei duas vezes se deveria pô-los no cesto de recicláveis ou no de lixo orgânico. Mas sabe de uma coisa? Chega de gente reformada, reciclada e refeita na minha vida. Quero pessoas novas, rostos novos, amizades novas e tudo de novo que eu mereça. Essa minha decisão resultou num cesto de orgânicos tão cheio que só vendo!
       Por mais incrível que pareça, a gente odeia faxina, mas quando a fazemos é que percebemos o quanto elas são necessárias. Tô leve, tô feliz, tô de armário desocupado!

Beijos e me liga para contar das suas faxinas :*

PS: Comente, deixe sua marquinha aqui :)

10 comentários:

  1. Ameeeei o texto... E eu também tenho que dar uma organizada no meu armário, mandar para o saco as pessoas que desapeguei... rsrs
    Gostei demais do texto, sério... Esses blogs da "Sophia" estão dando o que falar hein... HAHA
    Beijos querida... Seu blog é demais!!!

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto sz beijoss yaya seu amigo Bruno

    ResponderExcluir
  3. Super necessário isso. Com certeza, essas pessoas que já não fazem parte diretamente das nossas vidas ou simplesmente ''sumiram'', devem ter nos colocado no armário também, afinal, quem é importante para alguém sempre será procurado. Então, mais que válida essa faxina, flor. Mas é sempre bom ter certeza de que ninguém será mandado embora machucado.
    Beijos! Eu ADORO seus textos, sabia? :)

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre tento arrumar, tanto o meu quarto quanto os sentimentos e as pessoas que fazem parte ou não mais da minha vida, mas sempre acabo misturando tudo de novo, sabe? O problema é que sou muito nostálgica, sempre acho que posso recuperar algo que ficou perdido, quando muitas vezes o mais certo é jogar no lixo e deixar pra lá. Boa sorte com a faxina!
    Beijinhos

    www.hiperbolismos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Precisamos as vezes arrumar o nosso armário mesmo! Lindo blog

    ResponderExcluir
  6. Lindona, primeiro quero agradecer o carinho e as mensagens que você deixou pra mim pedindo que eu continuasse escrevendo. Isso foi muito legal da sua parte e pra mim, muito bom de ser lido.
    Tem que fazer faxinas sim, pra ter espaço livre e de sobra pra coisas novas. Não adianta, se a gente se apega demais ao velho, não dá chances para o novo se fixar. Gostei do texto e principalmente da sua iniciativa: começar a se desapegar é o primeiro passo.
    Beijão

    ResponderExcluir
  7. Oi, guria. Fazer esse tipo de faxina de vez em quando é ótimo. Nunca tive problema com desorganização física, no sentido de arrumar quarto e tudo. Mas confesso que dá uma dó de "jogar fora" certas pessoas, bem como tu escreveste. Nem sei se dó é a palavra certa, mas dá uma coisa de se desapegar de alguém que, de algum modo, já foi importante. Todos precisamos de rostos novos, pessoas novas, companhias novas. Espero que tu consigas um monte delas e que, claro, gostes de quem aparecer. :)
    Adorei o teu blog! Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Somos duas então Yasmin rs. Queria ser mais organizada, mas vire e mexe, faço uma faxina, mas parece que quanto mais arrumo, mais desarrumo tudo. São tantas lembranças e coisas que aconteceram, que por vezes, tento esquecer algumas delas e outras, fazer questão de guardar no lado esquerdo do peito. Gostei muito do "pessoas que nem uso mais", porque a realidade é essa. Algumas fazem parte de você e outras não! Amei seu texto, você escreve perfeitamente bem e me deixa sempre curiosa sobre suas postagens rs
    Obrigada pelo carinho flor e volte sempre ^^
    Beijos, beijos! :D

    ResponderExcluir
  9. Sou do tipo completamente desorganizada kkkk, preciso muito fazer uma faxinha tanto por dentro como por fora, uma faxinha geral mesmo.
    Seu blog é lindo e gostei do seu jeito de escrever, enfim, estou te seguindo linda, se der dá uma passadinha no meu também, eu sempre retribuo comentários *-*

    bjs
    http://quaseatoa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. "Mas sabe de uma coisa? Chega de gente reformada, reciclada e refeita na minha vida. Quero pessoas novas, rostos novos, amizades novas e tudo de novo que eu mereça."

    Ando precisando fazer essa faxina na minha vida sabe, andou acontecendo muita coisa comigo não lembro se te contei, acho que não. E penso que uma faxina feita de coração ia ser boa e necessária.
    A gente morre de preguiça de fazer né mas quando fazemos é que percebemos o quão bom é pra gente.
    Adorei seu texto, beijos flor! ♥

    ResponderExcluir

Não leio mentes ainda, então não vou saber o que você achou a menos que comente.